Arquivos de Categoria: Notícias

CIAD 2019

O NADI – Núcleo de Assistência Domiciliar Interdisciplinar do Hospital das Clínicas da FMUSP, em parceria com a Fundação Faculdade de Medicina, realizará nos dias 08 e 09 de novembro de 2019, no Centro de Convenções Rebouças em São Paulo/SP, o 18º Congresso Brasileiro Interdisciplinar de Assistência Domiciliar – CIAD 2019, com o Tema “A Casa e a Rua: Peculiaridades da Atenção Domiciliar Brasileira”

O Congresso conta com participantes das diferentes áreas da saúde e das diversas regiões do país, face à importância do interesse dos congressistas. É o momento dos participantes conhecerem produtos e práticas relevantes na atenção aos pacientes em domicílio.

Com o objetivo de facilitar a apreensão do conteúdo proposto, O CIAD 2019, como na edição anterior, utilizará de espaços simulados, transitando entre a teoria e a prática, para abordar temas importantes na atenção domiciliar.

Estamos aguardando em torno de 600 participantes entre eles Médicos, Enfermeiros, Assistentes Sociais, Nutricionistas, Fisioterapeutas, Psicólogos, Farmacêuticos, Fonoaudiólogos, Cirurgião Dentistas, Terapeuta Ocupacional e estudantes interessados.

Nosso site:  www.ciad.com.br

Saiba o que é a Síndrome do Pôr do Sol

Muitas pessoas que convivem com um familiar que tem Alzheimer, possivelmente, já devem ter notado que a noite pode ser um dos períodos mais difíceis, devido à inquietação, irritabilidade, agitação e confusão que podem piorar assim que o dia começa a desaparecer.

Há um nome para esta condição: Síndrome do Pôr do Sol, que faz com que o idoso com Alzheimer fique mais confuso, muitas vezes, não reconhecendo até mesmo o local onde está e insistir para ir embora dali. O momento é angustiante para todos que estão próximos e para quem está vivenciando tudo aquilo sem entender o porquê.

Por que a Síndrome do Pôr do Sol ocorre?

Estima-se que a Síndrome do Pôr do Sol afete aproximadamente 30% dos pacientes com Alzheimer e outras demências, geralmente, no estágio intermediário da doença, desaparecendo conforme ela progride.

Os motivos que desencadeiam a condição ainda são pouco conhecidos, mas a possibilidade mais plausível é que alterações cerebrais associadas ao Alzheimer afetem o “relógio biológico” da pessoa, levando-a a ciclos confusos de sono-vigília.

Esta alteração no cérebro também pode alterar o ritmo circadiano, sobre o qual se baseia o ciclo biológico, que é influenciado pela variação de luz ao longo do dia e do ano, temperatura, dia e noite.

Cansaço excessivo; necessidades não satisfeitas, como fome ou sede; depressão; tédio e dor também são fatores associados ao surgimento da Síndrome do Pôr do Sol.

Você pode ajudar!

Se você tem um familiar ou cuida de alguém que tenha Alzheimer, o recomendável é procurar previamente sinais desta síndrome, que podem ser: aumento da confusão ou ansiedade e comportamentos como andar de um lado para outro, vagar ou gritar.

Se puder, tente encontrar e entender o motivo que ocasiona este comportamento. Para isso, ouça pacientemente as preocupações e frustrações da pessoa, tente tranquilizá-la e distraí-la de situações estressantes ou perturbadoras.

Outras dicas que podem controlar a Síndrome do Pôr do Sol são:

  • Reduzir o barulho, a bagunça ou o número de pessoas no local onde a pessoa está;
  • Utilizar objetos ou realizar atividades prazerosas para distrair a pessoa;
  • Transformar o início da noite em um momento tranquilo, colocando músicas suaves para tocar ou fazendo em conjunto uma atividade como ler ou caminhar;
  • Fechar as cortinas ou persianas ao anoitecer para diminuir sombras, mas lembre-se de também acender as luzes.

Evitando a Síndrome do Pôr do Sol

Como citamos anteriormente, o cansaço excessivo pode aumentar a angústia, a irritabilidade e a agitação ao anoitecer. Mas, prevenir esta situação é possível e você pode ajudar:

  • Durante o dia, saia para caminhar um pouco com a pessoa ou pelo menos o deixe próximo de uma janela. A exposição solar pode ajudar a ajustar o relógio biológico;
  • De forma geral, os exercícios físicos são benéficos para a saúde, nesse caso também pode aliviar a angústia e a irritabilidade;
  • O ideal é ajudar o idoso a manter descansos curtos durante o dia e evitar ao máximo cochilos próximos ao anoitecer;
  • Desenvolva atividades recreativas que estimulem e deixem o idoso sempre em movimento;
  • Ajude-o a ter uma alimentação saudável e balanceada;
  • Evite que o idoso consuma bebidas alcoólicas ou que contenham cafeína no final do dia como café, chás, refrigerantes etc.;
  • Atividades físicas são benéficas, mas uma programação muita agitada também pode ser prejudicial e as consequências costumam surgir na hora do descanso;
  • Proporcione um ambiente confortável para o idoso dormir e mantenha este cômodo parcialmente iluminado para reduzir os riscos de confusão mental.

Procure ajuda!

Com os devidos cuidados, as chances de o idoso apresentar quadros da Síndrome do Pôr do Sol tendem a diminuir! Mas, se mesmo seguindo corretamente as precauções a Síndrome do Pôr do Sol continuar a ser um problema, procure assistência médica. Muitas vezes, somente um exame detalhado pode identificar o que está causando a condição (dor, distúrbio do sono, efeito colateral de medicamentos etc.).

Referências

Estratégias para lidar com a síndrome do pôr do sol

https://www.sbgg-sp.com.br/pub/estrategias-para-lidar-com-a-sindrome-do-por-do-sol/

Como a Síndrome do Pôr do Sol Influencia o comportamento de idosos com Alzheimer

https://alzheimer360.com/sindrome-do-por-do-sol-alzheimer/

Idosos mais agitados no fim do dia? Saiba mais sobre a Síndrome do Pôr do Sol

https://revistadmais.com.br/idosos-mais-agitados-no-fim-do-dia-saiba-mais-sobre-a-sindrome-do-por-do-sol/

VENHA NOS VISITAR

www.sbaresidencial.org.br

 Rua Dr. Franklin Piza, 107 Butantã – São Paulo/SP CEP 05591-070

CONTATO

 (11) 3724-9776

  (11) 97152-5874

Dormir bem é essencial para a saúde

Dormir bem é essencial para a saúde

Por que dormimos? Embora seja uma atitude completamente natural, as funções do sono ainda despertam dúvidas em muitas pessoas, porém inúmeros estudos têm evidenciado sua importância para a saúde e o papel reparador que desempenha no funcionamento do sistema nervoso, cardíaco e endócrino.

Dormir é tão fundamental para o corpo como alimentar-se bem e praticar atividades físicas. É durante as primeiras horas do sono que acontece, por exemplo, a liberação do hormônio GH, conhecido como o hormônio do crescimento.

Dormir para ser saudável

A privação de sono causa grandes impactos à saúde como o aumento dos níveis de cortisol e ACTH (Hormônio Adrenocorticotrófico), que são hormônios relacionados ao estresse.

Dormir mal também pode influenciar negativamente o sistema cognitivo; aumentar a irritabilidade e a ansiedade; alterar a resposta imunológica do corpo; contribuir para o surgimento de doenças como pressão alta e diabetes; alterar o apetite e favorecer a obesidade, já que reduz o hormônio que promove a saciedade (leptina) e estimula o hormônio que aumenta a fome (grelina).

Sono na terceira idade

Você já deve ter percebido que bebês dormem bastante, enquanto idosos costumam dormir cada vez menos, certo? Isso acontece porque a necessidade de horas de sono altera conforme a idade, no entanto, notavelmente, ela é muito maior na infância. Recém-nascidos, por exemplo, precisam de 16 horas de sono por dia. Porém essa necessidade diminui ao longo do tempo até atingir de sete a oito horas diárias na idade adulta.

Na terceira idade essa quantidade reduz ainda mais, pois o envelhecimento traz uma série de mudanças na rotina do indivíduo, como a diminuição de atividades físicas e o uso de medicamentos, que podem alterar o padrão do sono, causando insônia, sonolência diurna, falta de memória “sono interrompido” durante a noite.

Além da rotina, outros fatores decorrentes das modificações cerebrais que com o envelhecimento, influenciam o sono dos idosos, que naturalmente torna-se mais leve e em geral não dura mais do que oito horas diárias.

Como dormir bem?

Mesmo conhecendo a importância e todos os benefícios de dormir bem, muitas vezes ter uma noite de sono renovadora é uma tarefa difícil para muitas pessoas. Para ter um sono saudável e recuperar o período de descanso por completo, o primeiro passo é adotar alguns hábitos, o que é conhecido hoje como “higiene do sono”.

Considerada uma intervenção psicoeducacional, a higiene do sono tem a finalidade de ensinar as pessoas a perceberem quais fatores externos ou ambientais geram efeitos adversos e nocivos ao sono. Normalmente, as recomendações são feitas por um profissional especializado (psiquiatra), podendo ser verbais se possível, escritas.

Dicas de Higiene do Sono

Abaixo listamos algumas atitudes simples, mas que podem melhorar expressivamente as noites mal dormidas. Confira:

  • Evite longos cochilos à tarde para que durante o período da noite o sono não desapareça;
  • Praticar exercícios físicos é um grande aliado do sono saudável, mas tente fazê-los na parte da manhã, nunca poucas horas antes de dormir;
  • Não consuma alimentos estimulantes durante a noite como: chocolate, cafés, chás, refrigerantes e cigarro;
  • Fuja da iluminação excessiva da TV, smartphones, tabletes, computadores etc. Mantenha-os longe da cama antes de se deitar;
  • Ingerir bebidas alcoólicas para muitos é um bom indutor de sono, mas a verdade é que elas atrapalham na qualidade e na quantidade geral do sono, prejudicando a memória e o funcionamento dos sistemas imunológico e nervoso central;
  • Se você, por natureza, sofre com a insônia, tente relaxar antes de dormir. Meditar ou se concentrar no seu sono pode ajudá-lo a ter uma noite melhor;
  • Não se esqueça da disciplina. Estabeleça horários fixos para acordar e se deitar.

Hoje vivemos em uma sociedade que não prioriza tanto a qualidade do sono, porém devemos lembrar dormir bem é uma parte fundamental da manutenção de uma boa saúde, do equilíbrio, da qualidade de vida e do bom funcionamento do corpo e do cérebro.

Referências

Alterações do sono na terceira idade pedem cuidados especiais – Ministério da Saúde

http://www.blog.saude.gov.br/promocao-da-saude/30683-alteracoes-do-sono-na-terceira-idade-pedem-cuidados-especiais

Dia mundial do sono ressalta a importância de dormir bem para a saúde

http://www.evidencias.com.br/noticias/dia-mundial-do-sono-ressalta-a-importancia-de-dormir-bem-para-a-saude/

Passos para higiene do sono

http://coral.ufsm.br/docsie/acolhimento/Higiene_do_sono.pdf

VENHA NOS VISITAR

 Rua Dr. Franklin Piza, 107 Butantã – São Paulo/SP CEP 05591-070

CONTATO

 (11) 3724-9776

  (11) 97152-5874

Dormir bem é essencial para a saúde

A memória na terceira idade

Esquecer o número do próprio telefone, o nome de pessoas próximas e lugares já conhecidos, assim como ter mais dificuldade de memorizar novas informações, são episódios comuns na terceira idade.

Dentre as inúmeras alterações fisiológicas decorrentes do processo de envelhecimento, algumas das principais são as mudanças ocorridas nas funções do sistema nervoso central, principalmente as de origem neuropsicológicas envolvidas no processo cognitivo como, por exemplo, aprendizado e memória.

Apesar disso, a maior parte dos idosos que passa por esquecimentos não apresenta demência e consegue até mesmo se lembrar das recordações do passado. Mas, ainda assim, quando há indícios da perda de memória gradativa, os familiares são os primeiros a notar e é natural que fiquem preocupados com a situação.

Dicas para melhorar a saúde cognitiva

Antes de conhecer as dicas de como exercitar o cérebro e melhorar a memória na terceira idade, é importante saber que o declínio da saúde cognitiva também está associado ao estresse, ansiedade e à depressão. Você sabe por quê?

A liberação em excesso do cortisol, também conhecido como hormônio do estresse, influencia diretamente na diminuição do hipocampo, que é a região cerebral em que as lembranças e conhecimentos são gravados.

Entretanto, assim como podemos exercitar o nosso corpo, também podemos realizar alguns exercícios que estimulam o cérebro. Abaixo separamos seis atividades que desempenham esta função de fortalecer a saúde cognitiva. Confira:

  1. Estimule os sentidos com novas descobertas. Experimente novos sabores, aromas e texturas. Frequente locais diferentes, faça novas amizades, tire um tempo para realizar novos estudos ou aprender outras habilidades.
  2. A segunda dica está conectada à primeira: ao fazer qualquer uma destas atividades, evite distrações, pois focando melhor a sua atenção na tarefa executada, a memorização do que está acontecendo será mais profunda.
  3. Escreva para as pessoas que você ama (familiares e amigos); ouça músicas da época da juventude; leia livros e assista filmes que despertam interesse; faça crochê, bordado ou qualquer outro trabalho manual artístico.
  4. Mantenha sempre por perto uma caneta e um caderno para anotar informações que você lembrou, principalmente antes de dormir. Pode até deixá-los ao lado da cama se necessário;
  5. Jogos como palavras cruzadas, sudoku, quebra-cabeças ou caça-palavras, além de divertidos, são excelentes para exercitar o cérebro. Mas se você for mais tecnológico, também é possível baixar aplicativos com jogos específicos para treinar a atenção e a memória.
  6. Por último e sempre importante: realize atividades físicas conforme orientação médica e mantenha uma boa alimentação, com dietas que auxiliam no processo de envelhecimento mais saudável. Muitos alimentos podem ajudar você nessa busca por uma memória mais ativa.

Quando se preocupar…

A partir do momento que o esquecimento e o déficit de atenção e concentração começam a interferir no cotidiano e nas relações interpessoais, a condição deixa de estar associada à idade e passa a ser considerada um sintoma de demência ou até mesmo Alzheimer.

É por este motivo que a atenção deve ser redobrada e o paciente submetido a exames para identificar se realmente a perda da memória está associada à idade ou é o começo de uma doença degenerativa, exigindo assim tratamento precoce para controlar os sintomas e garantir uma qualidade de vida melhor.

Referências:

O efeito do exercício de estimulação da memória em idosos saudáveis

http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v39n1/a02v39n1.pdf

Demências e esquecimento na terceira idade

https://bit.ly/2JQLvgB

Doze dicas para melhorar a memória e a concentração

https://glo.bo/2M7FRJw

A importância de cuidar da memória na terceira idade

https://bit.ly/2VCdXVC

By gsaude|maio 23rd, 2019|ArtigosSem categoria

VENHA NOS VISITAR

 Rua Dr. Franklin Piza, 107 Butantã – São Paulo/SP CEP 05591-070

REDES SOCIAIS

https://www.instagram.com/sbaresidencial/

https://www.facebook.com/sbaresidencialparaidosos

CONTATO

 (11) 3724-9776

  (11) 97152-5874

E-book: Como ter uma nutrição adequada na terceira idade

Nutrição dos Idosos

Uma alimentação saudável, que garanta uma variedade de alimentos e que ofereça os nutrientes necessários para o funcionamento pleno do organismo é um fator fundamental e decisivo para a saúde durante a vida toda, porém ainda é mais importante para a qualidade de vida de quem está na terceira idade.

Preparamos um conteúdo exclusivo para você entender melhor sobre

5 dicas para envelhecer com saúde

Olá, tudo bem?

O SBA Residencial preza pela saúde do idoso e por isso proporciona um ambiente favorável para que todas essas atividades sejam colocadas em prática. Para envelhecer com saúde, é recomendável que hábitos simples sejam adotados, por isso criamos um conteúdo exclusivo para você entender melhor esse assunto.

Infografico_SBA (1)

Tecnologia e idosos: ainda dá tempo de aprender?

Os idosos estão mais conectados do que imaginamos. Estima-se que atualmente, dois em cada 10 idosos usam a internet, quebrando o estereótipo que associa o mundo digital exclusivamente às pessoas mais jovens.

A população tem envelhecido cada vez mais e a qualidade de vida é um dos pilares mais procurados para um envelhecimento saudável e feliz. Além de uma alimentação equilibrada, autonomia, vida ativa e saúde emocional, o acesso aos meios de comunicação também estão inclusos para que o dia a dia do idoso se torne mais fácil, dinâmico e prático.

Ainda há resistência?

Se você convive com idosos, provavelmente, em algum momento, sua ajuda foi solicitada para realizar tarefas tecnológicas, que envolvem desde ajustar configurações no celular, até descobrir o porquê a TV está dando algum problema.

Por mais que pareça, não pense que os idosos são resistentes a estarem mais conectados com o mundo. A aceitação tecnológica neste caso é grande, pois é considerada útil e necessária. O que interfere mesmo, é que, às vezes o contato se complica por vários fatores.

Muitos idosos ainda têm medo de utilizar as novas tecnologias e dentre os principais receios estão: danificar o aparelho, acessar a internet, vírus, redes sociais, do próprio computador, de aceitar coisas novas e até mesmo o medo de errar e das consequências do erro.

Benefícios de estar conectado

Se você é idoso ou possui algum familiar nesta fase da vida, tente afastar a sensação de incapacidade tecnológica. O uso da internet e de outros recursos são bastante benéficos na terceira idade, pois pode exercitar a memória, além de permitir o acesso a conteúdos de interesse pessoal, o que aumenta a capacidade de retenção.

A inclusão digital também influencia positivamente a confiança, autoestima e apoio social, pois com isso os idosos se sentem mais atualizados, ocupam o tempo ocioso, ficam menos sozinhos, diminuem as chances de desenvolver doenças como a depressão, e como citamos antes, também exercitam o cérebro.

Alguns estudos já têm evidenciado como as atividades onlines para idosos podem impulsionar o cérebro e aumentar a longevidade cognitiva. Utilizar as redes sociais como mecanismo de diálogo com amigos e familiares e a internet até mesmo para gerenciar e pesquisar viagens, passeios e atividades de lazer são ótimas opções.

Comece hoje!

Não tenha medo! O aprendizado tecnológico possibilita novas descobertas, novas experiências, resultando no aprimoramento das demais habilidades sem perder os valores ou objetivos de vida.

Embora a inclusão da terceira idade à tecnologia esteja apenas começando, a realidade virtual, a realidade aumentada, ativação de voz e hologramas são promessas de um futuro cheio de possibilidades para todos!

Aulas de Tecnologia no SBA Residencial

Uma das atividades que o SBA disponibiliza a seus Moradores é o Programa Maturar: uma série de aulas ministradas por profissionais familiarizados com cada matéria. Direcionado a um público de idosos independentes e parcialmente dependentes, aptos para atualização e reciclagem de conhecimentos, e promovendo a troca de aprendizados e experiências.

Desde o ano passado, entre os temas já abordados, como História da Arte e da Música, foram introduzidas aulas no Programa sobre A Era Digital: a relação da Terceira Idade com a Tecnologia.

Carlos Rosa, Gerente de Tecnologia da Informação da SBA, aplicou a primeira aula de 2019. “O objetivo é envolve-los na realidade atual da tecnologia no mundo e o quanto esse turbilhão de informações pode ser bem utilizado, seja pelos idosos ou por seus familiares. Não nos aprofundamos em terminologias complexas, mas explanamos o máximo possível para o alcance de cada ‘aluno’, despertando interesse e curiosidade pelo tema”, explicou Carlos. 

Referências

Idosos e tecnologia: ainda dá tempo de aprender?

https://www.happycodeschool.com/blog/idosos-e-tecnologia-ainda-da-tempo-de-aprender/

Idosos conectados

https://www.sescsp.org.br/online/artigo/9821_IDOSOS+CONECTADOS

Como vencer o medo de aprender sobre tecnologia na terceira idade?

http://www.ctrlplay.com.br/blog/como-vencer-o-medo-de-aprender-sobre-tecnologia-na-terceira-idade/

O Idoso e a Era Digital. Ainda dá tempo de aprender?

http://centrape.org/blog/tecnologia/o-idoso-e-a-era-digital-ainda-da-tempo-de-_-aprender/

07 dicas de cuidados com o idoso no inverno

Olá, tudo bem?

O inverno chegou e os cuidados com os idosos devem aumentar nesta época, isso porque com a queda da temperatura a imunidade costuma diminuir, facilitando o aparecimento de diversas doenças.

Dentre as principais estão: hipotermia, gripe, pneumonia e dores crônicas. Mas, existem formas de garantir mais conforto e proteção, mesmo nos climas frios. Neste artigo separamos 7 dicas que reduzem os impactos do inverno na saúde dos idosos.

1 – Escolha as roupas com atenção

Opte por roupas mais quentes como agasalhos de tecidos que bloqueiem o vento. Em ambientes ao ar livre, o ideal é que a pele do idoso seja protegida com acessórios como: bonés, toucas ou mantas. Quando for descansar use cobertores que retenham o calor, pois a temperatura do corpo diminui durante o sono.

2 – Alimentação

Para quem gosta, as sopas são ótimas opções. Elas podem ser feitas com mandioquinha, abóbora, batata e muitos outros legumes. Bebidas quentes como chás, chocolates e cafés, para quem não tem nenhuma restrição, também são alternativas para esquentar o corpo no frio.

3 – Hora do banho

Na hora que o idoso for tomar banho, o ideal é sempre se lembrar de fechar as janelas. Bloquear a circulação de vento frio ajuda a manter a temperatura do corpo e evita resfriados. Além disso, a ducha deve ser rápida e em temperatura amena, para não desidratar a pele.

4 – Use cremes ou hidratantes

Os cuidados com a pele não devem ser adotados somente no verão. Principalmente no inverno, a pele deve ser bem cuidada para evitar o ressecamento. O recomendável é usar loções e cremes hidratantes para evitar o aspecto seco e possíveis doenças dermatológicas, mas antes do uso de quaisquer produtos, um dermatologista deve ser consultado.

5 – Vacina da gripe

Os idosos estão no grupo prioritário de vacinação da gripe, que hoje é considerada a forma mais efetiva de prevenir a doença e suas complicações. A vacina deve ser tomada anualmente, pois os vírus, geralmente, sofrem mutações, exigindo que a vacinação se adeque para garantir a eficácia da imunização. O ideal é checar se essa e outras vacinas estão em dia no Calendário Vacinal do Idoso.

6 – Exercícios físicos

No frio, costumamos ter mais preguiça e menos disposição para nos exercitar. Mas, é essencial mantermos os hábitos saudáveis, inclusive na terceira idade. Lembre-se que antes de fazer qualquer exercício, é essencial realizar o alongamento.

7 – Tome sol

Ainda bem que estamos no Brasil e, mesmo no inverno, o sol ainda dá o ar da sua graça. Banhos de sol são essenciais para que o corpo mantenha a produção de Vitamina D. Não deixe de consumir a Vitamina C que está presente em alimentos como peixes, gema de ovos, fígado e cogumelos. Há também a alternativa por meio da suplementação em cápsulas ou gotas, mas que deve ser prescrita por um médico.

Se mesmo após todos esses cuidados, o idoso apresentar sintomas da gripe, calafrios ou dificuldade para respirar, é recomendável procurar ajuda médica para cuidados adicionais.

Referências

https://sbgg.org.br/11-dicas-para-cuidar-da-saude-do-idoso-no-frio/

https://www.amafresp.org.br/noticias/dicas-para-cuidar-da-saude-do-idoso-no-inverno/

O SBA Residencial, que faz parte de uma instituição com mais de 150 anos de tradição, pensou em todos os detalhes para que cada morador se sinta acolhido e desfrute ao máximo da sua moradia e do carinho que dedicamos a ele.

www.sbaresidencial.org.br

17º Congresso Brasileiro Interdisciplinar de Assistência Domiciliar

CIAD 2018

17º Congresso Brasileiro Interdisciplinar de Assistência Domiciliar

Arquitetura do Cuidado: A arte do possível na Atenção domiciliar.

Dentre os significados da palavra arquitetura podemos destacar: arte e técnica de organizar espaços e criar ambientes para abrigar os diversos tipos de atividade humana visando também à determinada intenção plástica. Para o arquiteto Carlos Alberto Prates a arquitetura á a arte do possível. Isto quer dizer que o sonho ou ideal do próprio profissional ou de seu cliente deve ser estudado, analisado e materializado, isto é: se tornado possível. Concretizado na forma de uma ponte que liga lugares antes inatingíveis, uma igreja, que abriga fé e fiéis, uma escola que gesta o futuro de uma nação, um hospital que entre dores, fracassos, êxitos e milagres cuida de nossa saúde ou uma casa, um microuniverso, que reúne um pouco de tudo isso.

Para Le Corbusier a casa é uma máquina de morar. Desse ponto de vista deve ser funcional o suficiente para garantir cuidado e abrigo. Por ser histórica e socialmente determinada, a moradia de cada um de nós reflete nossas condições econômicas, o lugar social que habitamos e os aspectos culturais que nos formam e “conformam”.

Se “a arquitetura fala de seu tempo e lugar, porém anseia por ser atemporal” (Frank Gehry), o cuidado realizado na residência do paciente e família também assim deve ser visto. Se por um lado as intervenções, procedimentos e tratamentos estão estreitamente relacionados às potencialidades e limites locais, institucionais e das equipes, por outro lado a evolução e adequação frente às necessidades do paciente podem ser reconhecidas como ilimitadas.

O CIAD 2018 foi dessa forma pensado: a arquitetura do cuidado pretende demonstrar a arte e a técnica de diferentes realidades e também de diferentes equipes na busca sempre presente da adequação frente à demanda, da concretização de ideais e da realização do que antes era somente sonho de intervenção ou ideal de prática.

A fim de concretizarmos nosso ideal arquitetamos para o congresso que ora se apresenta uma estrutura extremamente inovadora: as necessárias palestras serão sempre complementadas com oficinas pelas quais se pretende, na prática, demonstrar como se faz in loco, isto è: como no domicílio implanto minha intervenção. Várias e diferentes experiências de êxito serão apresentadas, de forma que cada profissional possa aprender e replicar o modelo na sua instituição, no seu estado e especificamente com o seu paciente. A proposta é efetivamente congregar experiências e demonstrar as diferentes arquiteturas criadas pelos profissionais no intuito de bem atender paciente, família e comunidade.

Assim, a atenção domiciliar é reconhecida como uma arquitetura condicionada ao sonho realizável de uma instituição, de uma política, de uma população. Sendo ou devendo ser, estreitamente relacionada aos aspectos sociais e culturais que a condicionam, a atenção domiciliar oferece inúmeras possibilidades de superaração de limites e de inovação na apresentação de propostas frente ao reconhecimento do domicílio como espaço possível e adequado de cuidados.

Como nos diz Niemeyer: “se a reta é o caminho mais curto entre dois pontos, a curva é o que faz o concreto buscar o infinito”.

Inscrições e mais informações em:

GERO 2018 – Envelhecimento, Tecnologia e Humanização

Gero 2018
Gero 2018
Gero 2018

As discussões que temos sobre o envelhecimento, no Serviço de Geriatria do Hospital das Clínicas da FMUSP, norteiam a organização do próximo GERO.
Primeiramente lembramos que a produção cientifica do Serviço de Geriatria que será apresentada no evento cresce a cada ano em qualidade e em discussão de assuntos essenciais no cuidado dos idosos, seja do ponto de vista geriátrico ou gerontológico, e hoje ocupa espaço em publicações internacionais de revistas conceituadas.
E nessa edição o tema proposto para atualização foi “Envelhecimento, Tecnologia e Humanização”. Tendo em vista que as demandas da população que envelhece serão em parte supridas ou atendidas por tecnologias que já existem ou ainda serão desenvolvidas conhece-las é de extrema importância para quem atua no cuidado dos idosos.
Pensando desta forma a comissão cientifica elaborou uma programação muito rica em temas nas mais diversas áreas da tecnologia, indo de aplicativos, jogos, sistemas, plata­formas, métodos diagnósticos até inteligência artificial e robótica que serão abordados por palestrantes altamente qualificados.

Dessa forma convidamos você a dividir conosco esse aprendizado no GERO 2018 imagi­nando nos preparar para conhecer, discutir e refletir sobre assuntos que implicarão nos cuidados das pessoas que envelhecem.
Grande abraço!

Prof. Dr. Wilson Jacob Filho 
Prof. Titular de Geriatria da FMUSP

 

Inscrição, programação e mais informações em:

http://simposiogero.com.br/

http://www.gerosaude.com.br/inicial/default.asp